Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de setembro de 2006

Oposição quer saber de Okamotto e cartões corporativos

“A quase três semanas das eleições, a oposição deu a última cartada no Senado para tentar desgastar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ontem, sem maioria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o governo sofreu duas derrotas seguidas. Por 11 votos a 3, a oposição aprovou convite ao presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Paulo Okamotto, para que explique o pagamento de dívida de R$ 29,4 mil de Lula com o PT. “Isso é mais uma etapa do processo eleitoral”, reagiu a líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), antes de Eduardo Suplicy (PT-SP) votar a favor. O PSDB e o PFL conseguiram também aprovar pedido à ministra Dilma Rousseff, da Casa Civil, para que preste contas dos cartões de crédito corporativos usados para pagamento de gastos da Presidência. O requerimento foi feito pelo senador Álvaro Dias (PMDB-PR). Contrariado, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), vai recorrer à Mesa Diretora para tentar anular a votação. Ele alega que a decisão foi tomada sem a presença mínima exigida de 12 senadores e que não é prerrogativa do Senado fiscalizar as ações administrativas do governo, mas do Tribunal de Contas da União.”

Nenhum comentário: