Pesquisar este blog

terça-feira, 3 de outubro de 2006

Lula, à beira de um ataque de nervos, tenta se recompor para um segundo turno quase que impossível (para ele)

Numa tensa reunião ocorrida na noite de segunda-feira à noite, no Palácio da Alvorada, o presidente Lula, alguns petistas e aliados do PSB e PMDB concluíram que é fundamental superar imediatamente o escândalo do dossiegate sob pena de uma virada do candidato tucano Geraldo Alckmin no segundo turno presidencial.

Lula concordou com a avaliação. No encontro ficou decidido que Lula intensificará as cobranças sobre o ministro da justiça, Márcio Thomaz Bastos e a Polícia Federal para apresentarem rapidamente os resultados das investigações, apontando a origem do dinheiro e os responsáveis pela operação dos petistas aloprados. Há uma tendência de se responsabilizar a campanha do senador Aloizio Mercadante por todo esse desastre de compra de dossiê, inclusive o financiamento de R$ 1,7 milhão. Outra hipótese considerada por Lula e seus homens de confiança no encontro foi uma armadilha dos tucanos engendrada pelo empresário Abel Pereira. Não houve consenso sobre o que realmente aconteceu, mas ficou definido que o prazo para apontar os culpados corre contra Lula e sua reeleição.

Emocionado, Lula revelou ao novo comando de sua campanha no segundo turno que está confiante na sua vitória. Garante que vencerá com folga os debates contra Alckmin, pois se sente mais preparado e que as comparações entre seu Governo e o de Fernando Henrique Cardoso serão favoráveis a sua passagem pelo Planalto. Em tom de desabafo, o presidente confessou que passou a noite em claro na véspera da eleição, pois avaliava que os fatos sobre a compra do dossiê iriam provocar o segundo turno. Contou que teve uma conversa muito dura com o presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini. Os termos usados são tão fortes que se tornam impublicáveis.

Querendo superar essa fase de problemas, Lula e seu time de coordenadores discutiram todos os passos da rápida campanha do segundo turno. Agora, a coordenação da reeleição estará a cargo de Jacques Wagner, Marcelo Deda e Jorge Viana, do PT, Renan Calheiros, José Sarney e Jader Barbalho, do PMDB, Aldo Rebelo, PCdoB e Ciro Gomes, PSB. A linha de frente ficará sob o comando da dupla Jacques Wagner e de Ciro Gomes. O baiano fará o papel de porta-voz de Lula e Ciro baterá duro em Alckmin e nos tucanos.

Um dos problemas apontados na reunião do Alvorada foi o comportamento que o PT vem adotando nos estados. Como se tivesse vencido as eleições, os petistas não querem ampliar o leque de aliados, temendo ter que dividir os espaços políticos no segundo governo do petista. O presidente falou que isso irá acabar, e que precisa de apoios em todos os estados para vencer as eleições, sem sustos.
Os aliados de Lula temem uma redução da diferença do presidente no Nordeste. As disputas no segundo turno no Maranhão, Pernambuco e Paraíba estão radicalizadas e ao pedir votos para um candidato a governador aliado, Lula pode causar desgaste em sua candidatura em um desses estados.

3 comentários:

Anônimo disse...

São os extraterrestres que estão chegando!
É a maldição dos que tombaram no caminho de Lula, como Celso Daniel,Toninho do PT e outros 6, se é que foram só estes.
CK

Anônimo disse...

A memória do burro
por Janer Cristaldo em 03 de outubro de 2006

Resumo: Um presidente implicado em toda sorte de falcatruas, megalomaníaco notório, que mente a cada palavra que diz e se contradiz a cada instante, conseguiu nada menos que 48 % dos votos na busca pela reeleição.

© 2006 MidiaSemMascara.org

Eliane disse...

A monarquia sindical
Eu recebi o texto abaixo por e-mail, e não posso deixar de publicá-lo aqui.

DESPESAS DO GABINETE PRESIDENCIAL
1995 - FHC ---------------------R$ 38,4 milhões
2002 - FHC ---------------------R$ 76,0 milhões (aprox.)
2003 - Lula ---------------------R$ 318,6 milhões
2004 - Lula ---------------------R$ 372,8 milhões (R$ 1,5 milhão/dia útil)

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS NO PALÁCIO DO PLANALTO
Itamar Franco---------------------------------------1,8 mil
FHC---------------------------------------------------1,1 mil
Lula---------------------------------------------------3,3 mil

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS DO PALÁCIO DA ALVORADA - 75 empregados
Obs : No ano passado Lula assinou o decreto no 5.087 aumentando de 27 para 55 o número de assessores especiais diretos.
Fonte : ISTO É/DINHEIRO. Dados coletados por um grupo de consultores que têm senha especial de acesso ao SIAF - Sistema Integrado de Administração Financeira.

COMPARAÇÃO COM AS PRINCIPAIS MONARQUIAS E COM OS ESTADOS UNIDOS

Custos operacionais anuais (custo de manutenção da Chefia de Estado)

Inglaterra (monarquia)---------US$ 1,87/capita = US$ 104,0 milhões
Dinamarca (monarquia)--------US$ 1,86/capita = US$ 9,5 milhões
Bélgica (monarquia)------------US$ 1,10/capita = US$10,8 milhões
Noruega (monarquia)-----------US$ 0,83/capita = US$ 3,6 milhões
Japão (monarquia)--------------US$ 0,42/capita = US$ 52,0 milhões
Espanha (monarquia)-----------US$ 0,20/capita = US$ 8,1 milhões
EUA (república)------------------US$ 4,6/capita = US$ 1.100,0 milhões
Brasil (republica sindical)------US$ 12,0/capita = US$ 1.700,0 milhões

Fonte: IBGE

CONCLUSÃO

É muito mais barato manter uma Família Real do que um Presidente Operário .

Impressionante!
do site http://www.nemersonlavoura.blogspot.com/