Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Arthur Virgílio,comendo na mão do Apedeuta

Essa farsa já era esperada ,depois de tanto criticar o Apedeuta agora ele pega carona de sucatinha ,tem téte-a téte com Lula em sala VIP ,e constrange FHC ao anunciar o encontro do ex presidente tucano com Lula.
Sinceramente ,esse sujeito não faz sentido,se lambuza no mel que sempre repudiou,depois de Blairo,a maior cooptação do lulismo.
Abaixo matéria do jornal O Globo:

O desejo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de iniciar um diálogo com a oposição não foi bem recebido por tucanos e pefelistas.

Até mesmo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se mostrou contrariado em conversas com tucanos, ontem, sobre a tentativa de aproximação feita por Lula com o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), no último sábado. Os dois conversaram no vôo de volta a Brasília depois do enterro do senador Ramez Tebet (PMDBMS), e Lula disse que iria procurar o PSDB para tratar das reformas que enviará ao Congresso e sugeriu a criação conselho de ex-presidentes da República.

No núcleo do PSDB, a avaliação foi de que a conversa prejudicou o partido, porque passa a imagem de cooptação de tucanos pelo presidente Lula. Após uma eleição polarizada, marcada por denúncias de escândalos no governo, uma conversa agora poderia significar que a oposição estaria avalizando o presidente antes mesmo da posse.

FH: “Não tenho nada para conversar com Lula” Ao ser perguntado por um tucano sobre a possibilidade de uma conversa com Lula, o Fernando Henrique foi taxativo: — Não tenho nada para conversar com Lula neste m o m e n t o .

Preocupado com a repercussão da conversa entre Lula e Virgílio, o presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), evitou falar ontem sobre o assunto.

Já o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) afirmou ontem que a oposição não vai conversa com o governo. Para ele, a estratégia do presidente é de tentar enfraquecer os adversários: — Se a oposição for ao Planalto, vai avalizar a tese de que está absolvendo os atos de corrupção do governo que nós denunciamos na eleição.

O governador eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), porém, disse ontem, ao anunciar o nome de mais nove secretários, que está disposto a conversar com o presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o futuro do país e sobre os entraves para o crescimento: — Estou à disposição do presidente no momento oportuno, se for o caso.

No PFL, a proposta de Lula de abrir um canal de diálogo com a oposição também não encontrou eco. O líder do partido no Senado, José Agripino Maia (RN), foi categórico: não irá ao Planalto conversar com Lula e que qualquer tratativa entre governo e oposição tem que ser feita no Congresso: — O que for de interesse coletivo vamos tratar no Congresso.

A ida ao Planalto implicaria numa foto que precisaria ser explicada ao Brasil. E tudo que exige uma explicação não é conveniente para a oposição.

No fim da tarde de ontem, Arthur Virgílio recebeu um telefonema do ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, com o mesmo recado de Lula: o governo quer abrir o diálogo com a oposição. Tarso convidou Virgílio para debater economia no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Virgílio preferiu deixar para o próximo ano e disse que a conversa entre Lula e o PSDB só acontecerá se o governo apresentar uma agenda para discussão: — Não estou disposto a ganhar campeonato de radicalidade.

O PSDB não se nega a conversar sobre o país. Mas, para isso, é importante ter uma agenda, para que não ficar numa conversa vazia.

A aproximação com a oposição foi discutida ontem por Lula na reunião da coordenação política. Segundo Tarso, o presidente avaliou que a relação do governo com a oposição tende a melhorar e, com a base aliada, a se ampliar.

— A avaliação do presidente é que há um novo patamar hoje de relacionamento entre governo e oposição, de uma lado, e há uma enorme possibilidade de que o governo tenha uma base bem mais sólida no parlamento para governar no segundo governo — disse Tarso.

Na reunião também foi tratada da solenidade de posse do presidente. O governo quer um único dia de cerimônia, em 1ºde janeiro

3 comentários:

blogdopatrick disse...

Kozel, para incrementar ainda mais seu post, informo que o governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) articula seu ingresso no PTB. A intenção: apoiar o governo Lula.

Camarada Arcanjo disse...

Quando as feras se viram...

As bestas-fera estão se reagrupando e formando matilhas vorazes para tentar organizar o saque e dar ordem a distribuição do butim, antes mesmo do ataque aos cofres públicos.

Alguns tentam por ordem no puteiro que se formou, sempre com a intenção de abocanhar maior parte. Prostitutas velhas e alquebradas passando baton carmim e vestindo roupas estravagantes para convencer seus "clientes" de suas habilidades úteis.

Do falatório, entre fumaça de charuto e forte cheiro de perfume barato, só se ouve defesa de nobres causas: "governabilidade, crescimento, desenvolvimento, eu aprendí com os erros, agora tratarei diferente o congresso, agora poderemos fazer".

Entre goles de gin, de absinto, e o odor de suor rançoso, as "meninas" estão querendo mais 40 ministérios, além dos 34. Os clientes, querendo os 74 ministérios só para eles, as "meninas" também.

Stella disse...

é o dando que se recebe, ou o toma lá dá cá está correndo solto
eles chamam isso de pacto para governabilidade
então tá......