Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Propinolândia -O Brasil dos absurdos

Quem aprovou tal obra?
Quem recebeu propina?

Hotel de onze andares e cincoenta metros de altura construído a cerca de seiscentos metros da cabeceira é mais um problema para o aeroporto de Congonhas, ameaça ao pouso das aeronaves.

Embora a Aeronáutica tenha autorizado a construção do edifício, que ainda não foi inaugurado, sua altura elevada mexeu com as cartas aéreas de Congonhas, deixando os pilotos com menos pista para pousar.

Antes da construção do prédio, a carta aérea indicava que a pista tinha 1940 metros para serem usados.

Agora, a nova carta indica que só 1810 metros de pista podem ser utilizados. Por causa do prédio, os aviões têm que mudar o ângulo para tocar a pista 130 metros adiante.

3 comentários:

Rafa disse...

“Faltou dizer que o dono do hotel que ainda não funciona, na rota dos aviões, é o tal do Oscar Maroni, dono também do mais famoso prostíbulo de São Paulo, o BAHAMAS (que aliás, é ao lado do hotel). Este sr. deve ser o "empresário" com a maior folha de pagamento do Poder Público estadual. Só isso explica a sua casa de "moças" estar aberta em plena Avenida Bandeirantes, e nunca ter sofrido uma intervenção sequer (salvo uma rara visita do depto. de vigilância sanitária, que foi logo abafada na mídia). Ou seja, este hotel (tal qual a casa das moças, ao lado) não tem nenhuma razão de existir, e JAMAIS existiria, não fosse a corrupção de nossos políticos e oficiais da lei, que permitem a existência de tal negócio. E agora, ao invés de se cogitar demolir o hotel e revogar a COMPRADA licença da construção, pensam em desapropriar um bairro inteiro. É O FIM DOS TEMPOS!!!!”.

Anônimo disse...

Gilberto Kassab declarou, nesta segunda-feira, 23, durante o programa Roda Viva, na TV Cultura, que os técnicos da Prefeitura estão avaliando as circunstâncias em que o empreendimento obteve autorização. "Se constatarmos algum equívoco nesse procedimento vamos demolir o prédio", disse Kassab. "Estarei a frente dessa ação."



Segundo o prefeito, a autorização para o início das obras não partiu da Prefeitura, mas apenas da Aeronáutica, que avaliou a altura do edifício e não viu comprometimento nas operações do aeroporto. "Se é verdade que o hotel deixou a pista mais curta, acho estranho que o proprietário tenha obtido autorização", disse o prefeito.



O dono do empreendimento, Oscar Maroni Filho, diz que não há irregularidades na obra. Em 2000, quando o hotel começou a ser construído, ele obteve autorização tanto da aeronáutica quanto da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo, com a ressalva de que o prédio fosse sinalizado com luzes de baixa intensidade no topo.



"Se estão falando em demolir porque não impediram a construção do hotel antes?", disse Maroni. "Se a Prefeitura tomar essa atitude terá de me indenizar." O empresário diz ter investido mais de 30 milhões de dólares hotel, que começaria a funcionar em quatro meses, com mais de 200 apartamentos e diárias em torno de 400 dólares.



A primeira solicitação do empresário foi indeferida pela Aeronáutica porque o projeto inicial previa a construção de um flat. A autorização foi negada porque se tratava de prédio residencial e sua construção contrariava a lei de zoneamento. O projeto foi alterado e o início das obras do hotel, autorizado.

Anônimo disse...

EU COMO UM BRASILEIRO QUE SOU, ESTOU DUVIDANDO O PREFEITO KASSAB GANHAR A QUEDA DE BRAÇO COM ESSE GRAN GIGOLÔ. SERIA ÓTIMO PRA NAÇÃO QUE KASSAB VENÇA. PORÉM SE LEVARMOS EM CONTA A CLIENTELA VIP DE OSCAR FDP MORONI, ACHO UMA MISSÃO IMPOSSÍVEL. A CORRUPÇÃO NÃO VEM DO GOVERNO LULA, MAS QUE NO DELE A COISA ENGRENOU E FRUTIFICOU COMO JAMAIS VISTO ANTES...ISSO EU TENHO CERTEZA....só não vê quem é LULA.......rsrsrs