Pesquisar este blog

sábado, 5 de agosto de 2006

Suassuga sanguessuna-Suassuna sanguessuga


A situação do líder do PMDB no Senado, Ney Suassuana (PB), começa a criar constrangimentos à bancada de seu partido. O senador Pedro Simon (PMDB-RS), por exemplo, sugeriu nesta sexta-feira que Suassuna se licencie da liderança para se dedicar melhor a sua defesa. Em depoimento, Marcelo de Carvalho, ex-assessor de Suassuna, disse que o chefe tinha conhecimento de todas as emendas apresentadas ao orçamento propondo a compra de ambulâncias que acabaram sendo fornecidas pela Planan, da família Vedoin, por valores superfaturados.

- Seria bom para o partido e para ele (Sussuana) próprio. É importante que fique claro que isso não será um reconhecimento de culpa prévia, mas um ato de inteligência do senador para se preservar e preservar o PMDB - aconselhou Simon.

O presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), admitiu que a apresentação do relatório da CPI no próximo dia 10 deverá permitir que o partido tome as primeiras providências para punir os envolvidos no escândalo dos sanguessugas.

- Se forem apresentadas provas cabais desse envolvimento, não me restará outra alternativa a não ser convocar a executiva do partido e propor a abertura de processo no conselho de ética - avisou Temer.

2 comentários:

Tiago Motta disse...

Cada dia que passa o PMDB se afunda mais nessa aliança com o PT

Labestia disse...

Quem não escolhe a companhia tem mais é que afundar junto. Aliás, o PMDB não tinha muita opção, a não ser ficar próximo do que lhe é parecido.