Pesquisar este blog

quinta-feira, 21 de setembro de 2006

O blog "Fora Apedeuta" quer saber:

Quem é o dono da bufa que pagou o dossiê,dona PF?

8 comentários:

Anônimo disse...

PF já sabe quem são os donos do dinheiro e não divulgou ainda por pressão do Planalto.
Eles querem que a divulgação seja feita somente após as eleições.
Deputados do PSOL protestam.
Não adianta, vai vazar.
De uma forma ou de outra.
É Nitroglicerina pura.

minuto político

Cereal Killer

Nat disse...

A Ong do Lorenzetti que recebeu um dia antes uma dinheirama do governo!

Anônimo disse...

Eu suspeito que os dólares tenham vindo de Aerolula 51,pois não passaram pelo Banco Central e foram fabricados em abril de 2006, não são portanto os de Cuba,nem os de Taiwan.

Cereal killer

Stella disse...

só falta o bode ser aquele que sacou na boca do caixa

Anônimo disse...

Diogo Mainardi
IstoÉ, a mais vendida

"Fim de agosto. Base aérea de Congonhas.
Lula se encontra com Domingo Alzugaray,
dono da IstoÉ. O encontro está fora da
agenda presidencial. Alzugaray se lamenta
dos problemas financeiros da revista.
Lula pergunta como pode ajudá-lo..."

Fim de agosto. Base aérea de Congonhas. Lula se encontra com Domingo Alzugaray, dono da IstoÉ. O encontro está fora da agenda presidencial. Alzugaray se lamenta dos problemas financeiros da revista. Sabe como é: salários atrasados, contas penduradas com o fornecedor de papel e com a gráfica. Lula pergunta como pode ajudá-lo. Alzugaray sugere o pagamento imediato de uma série de encartes encomendados pela Petrobras. Valor total: 13 milhões de reais. Lula promete se interessar pelo assunto. Duas semanas depois, a IstoÉ publica a matéria de capa com os Vedoin, incriminando os opositores de Lula.

Quem relatou o encontro confidencial entre Lula e Alzugaray foi o editor da sucursal brasiliense da IstoÉ, Mino Pedrosa. E quem o relatou a mim foi o PFL. Creio que seja verdade. Creio em tudo o que contam de ruim a respeito de Lula. O que posso garantir é que a imprensa lulista funciona assim mesmo. O presidente manda. O jornalista publica. O contribuinte paga. Aborreci um monte de gente para tentar descobrir se a IstoÉ foi socorrida pela Petrobras nas últimas semanas. Ninguém soube me dizer. Os gastos em publicidade da Petrobras competem somente a ela mesma. O presidente manda. O jornalista publica. O contribuinte paga. Mas nunca fica sabendo onde foi parar o tutu. É o esquema perfeito. A IstoÉ foi acusada por seu próprio editor de ter vendido a matéria de capa com os Vedoin. Quem forneceu o dinheiro? Meu conselho é perguntar ao diretor de marketing da Petrobras, Wilson Santa Rosa. Ele é homem da CUT, como muitos dos que foram pegos em flagrante nessa trama golpista. E é amigo de José Dirceu. Sempre desconfio de quem é da CUT e amigo de José Dirceu.

Um dos principais petistas implicados na compra de matéria da IstoÉ foi Hamilton Lacerda. Ele era coordenador da campanha de Aloizio Mercadante. Foi afastado depois de admitir que negociou a entrevista com os Vedoin. O repórter Ricardo Brandt descobriu que Lacerda "atuou como intermediador de contratos da Petrobras com órgãos de imprensa". Esses fatos esclareceriam o que aconteceu desde o encontro de Lula com Domingo Alzugaray na base aérea de Congonhas até hoje. Lacerda era o responsável pela propaganda eleitoral de Mercadante. A produtora que faz a propaganda eleitoral de Mercadante é a VBC. VBC... VBC... O nome é familiar. É a mesma VBC que se meteu no escândalo do lixo de Marta Suplicy? É a mesma VBC que produziu farto material de propaganda da Petrobras, incluindo um documentário de três horas sobre o Pantanal? Sim. É a mesma VBC. Esse é o único lado bom do PT: seus enredos criminosos sempre fecham. Tanto que, nesse episódio da matéria da IstoÉ, já apareceram pessoas envolvidas com Celso Daniel, valerioduto, diretoria do Banco do Brasil, ONGs do Ministério do Trabalho, contratos de publicidade, Delúbio Soares, sanguessugas. De um jeito ou de outro, tudo se encaixa. Tudo remete a Lula e a José Dirceu.

Lula ainda pode se eleger. No segundo turno. Se ele for eleito, cedo ou tarde seu mandato será cassado. Porque sua campanha usou dinheiro ilegal. Nos últimos anos, peguei no pé dos jornalistas alinhados com o PT. Foi burrice minha. A imprensa lulista é o melhor produto nacional. Primeiro derrubou Antonio Palocci. Agora vai derrubar Lula.

Texto completo na Veja.

mE disse...

Censura no Orkut?

Ao longo da madrugada, recebi dezenas de mensagens acusando que a comunidade “Fora Lula 2006”, do Orkut, que teria mais de 170 mil membros, foi eliminada. Não tenho como verificar a esta hora. E também não pertenço ao Orkut. Espero que os pauteiros dos jornais se interessem por isso nesta manhã. Se aconteceu mesmo — e não tenho por que duvidar dos “meus” jornalistas —, a coisa é grave. Até porque foram mantidas as páginas que cantam as glórias do Babalorixá de Banânia. Está havendo uma confusão séria no país entre liberdade de expressão e campanha eleitoral. A fúria legiferante da fatia do Judiciário que cuida de eleições está tornando os brasileiros menores de idade. Uma coisa é cometer um dos chamados crimes contra a honra — calúnia, injúria e difamação (e existem leis para puni-los) —, outra, bem diferente, é impedir o exercício da crítica. Falar mal de político agora é algo que afete a dignidade humana? Com raras exceções, trata-se justamente do contrário: é uma forma de aperfeiçoá-la. E tem mais: se existe uma comunidade chamada “Fora Lula 2006” e se há ali manifestações passíveis de punição legal, que se individualizem as responsabilidades. Existe agora punição coletiva? Que história é essa? Bom, de qualquer modo, é tudo compatível com o quadro geral. O primeiro alvo de qualquer ditadura ou regime autoritário é sempre a liberdade de expressão. De novo, voltamos a 1984, de Orwell, já citado no post abaixo.

Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

http://www.ternuma.com.br/notadosclubes.htm


NOTA DOS CLUBES MILITARES

Cris Floripa disse...

A Comunidade do Orkut, Fora Lula 2006, com 170 mil participantes, desapareceu misteriosamente na noite de 23 de setembro. Outras menores, como a de Heloisa Helena, com 50 mil membros, também sumiram. É assim que se age agora no Brasil. É esta a democracia que os lulistas conhecem e aplicam. Entretanto, os membros destas comunidades não podem ser atacados pelos hackers da "Legião", nem podem ser deletados. Estarão presentes, nas urnas e mostrarão sua indignação