Pesquisar este blog

domingo, 27 de maio de 2007

ANALISANDO A CONJUNTURA

S. Paulo26/05/2007

O título desta nota deve ser entendido também como uma ironia, pois a esquerda adora fazer esse tipo de exercício. Os jesuítas subversivos que publicam a Nota de Conjuntura no site da CNBB são bem um exemplo desse caso. Quaisquer dos partidos políticos revolucionários têm lá sua análise de conjuntura. Então uso do mesmo veneno, vai aqui a minha.

Quero me referir à Operação Navalha, posta em curso pela Polícia Federal. Não é novidadeiro que escutas telefônicas e filmagens solertes sirvam de pano de fundo para profusas investigações que acabam quase sempre em nada na esfera judicial, mas servem para humilhar adversários políticos com algemas, imagens na televisão, crônicas hipócritas dos âncoras de televisão mal-intencionados, editoriais compungidos da grande imprensa, toda sorte de discurso populista mais das vezes contra inocentes. Mas espero que você, meu caro leitor, atente para o novo degrau que alcançou a escalada totalitária. Estamos colhendo os frutos da revolução gramsciana que se aproxima de seu apogeu, com a tomada total do Estado pelas forças esquerdistas. Só restam mesmo as Forças Armadas, até onde eu posso enxergar, se estas já não tiverem sido devidamente contaminadas.

O ritual é sempre o mesmo. Um juiz de um tribunal qualquer, em geral alinhado com as posições marxistas, quando não militante honorário de alguma facção de esquerda, dá a ordem de escuta e investigação. As polícias, sobretudo a Federal, tomadas por militantes ativos do esquerdismo e ávidas de aparecer na mídia saem em busca de suas “provas”. Qualquer frase fora do contexto falada em um telefone celular pode servir para fundamento de uma ordem de prisão temporária. Aí a vida política do investigado, bem como a sua honra pessoal, já foram para o ralo, pois o espetáculo repulsivo da repressão é devidamente registrado pelas TVs. Nesse circo todo a mídia acumula, a um só tempo, o poder de acusação, de julgamento e de execução da sentença. Muitos inocentes têm a sua vida destruída de forma gratuita e irreversível pelos instintos desenfreados desses malfeitores tornados poder de Estado. Os piores homens estão no poder a nos governar.

O degrau agora escalado é que figurões tidos e havidos como do “centrão” da cena política viraram os alvos prioritários, intercalados por um ou outro capitalista desavisado que tenha alguma dificuldade com a Receita Federal, este outro braço armado da luta de classes posta em marcha contra os que trabalham nesse país. A Receita Federal forma com a Polícia Federal o impiedoso cão tri-céfalo, cuja terceira cabeça é a mídia inteiramente controlada pelos ideólogos de esquerda. É o Cérbero da revolução brasileira. O Brasil está muito próximo do Estado policial total, ainda respeitando os rituais da lei por razões puramente táticas, embora eu ache que esse mero detalhe poderá ser desprezado em prazo curto.

[Ontem eu ouvi no Jornal da Globo um sujeito militante do MST prometendo destruir os postes de transmissão de energia da usina hidrelétrica de Tucuruí, ele que liderou de forma inconseqüente e sem qualquer responsabilização pelos agentes da lei a sede daquela importante fonte da matriz energética brasileira. Não foi mera bazófia, esse cara fará o prometido a qualquer hora dessa. Ele que deveria ser algemado e preso e condenado por flagrante violação da lei, inclusive por ato de terrorismo e incitação ao terrorismo. Nada lhe acontece, todavia, sendo tratado pela mídia esquerdista como um heróico militante de um suposto movimento social. Não preciso dizer que derrubar uma linha de transmissão significará o black out em todo o país, parando a produção e transtornando a vida cotidiana de toda a gente.]

Voltando ao ponto, o que vejo é a emergência de um partido único, o PT, a concentrar paulatinamente o poder, dominando todos os instrumentos disponíveis: os aparelhos de Estado dos três poderes, a mídia, os supostos movimentos sociais, não hesitando em colocar na defensiva seus inimigos, as oligarquias tradicionais e o empresariado. Como a lógica do poder totalitário é a que preside a ação desse partido único só se pode esperar de sua inércia o assoberbamento das suas ações por mais poder, que ainda não é maior porque não domina os governos estaduais de unidades importantes, como São Paulo. Se José Genoino tivesse sido eleito talvez estivesse a viger a ditadura totalitária em sua plenitude nesse momento no Brasil.

Então vejo que essa escalada não vai parar e a inércia tomou uma velocidade ainda maior. Teremos ações freqüentes dessa envergadura, colocando qualquer potencial de oposição política em situação de fragilidade e de intimidação. A força da lei será usada impiedosamente contra os inimigos da revolução. E o acovardamento crescente daqueles que deveriam ser os lideres da resistência fazem sua capitulação sem lutar, quando muito em troca de alguma sinecura para compor a tal base política do governo (na verdade, base parlamentar, onde as forças revolucionárias jamais tiveram maioria). Os bolcheviques estão se aproximando de sua conclusão, sua obra de perfeição política: a tomada totalitária do poder sem disparar um único tiro, a exemplo de Hitler.

Quem viver verá!

Nivaldo Cordeiro é economista e empresário livreiro
www.nivaldocordeiro.net

Um comentário:

Stella disse...

o poder eles já possuem, mas creio que não dará muito certo, eles irão se matar para dividir o butim