Pesquisar este blog

domingo, 23 de setembro de 2007

Resposta do Malbert de Brasília ao petralhete ZE POVO

ZEPOVO
É normal que vc me acuse de ser "condicionado", pois quando não se concorda com vcs, ou somos "elite branca que teme perder os privilegios de classe", ou somos burros e não entendemos nada, ou no mínimo "condicionados"! Em outras palavras, uns coitadinhos a serem "curados". Tudo como no padrão, então.
Nunca senti vergonha em ser brasileiro, ao contrário, e sempre me considerei uma espécie de "embaixador" do meu país. Me formei (em Direito) na Europa e trabalhei muitos anos lá. Ao contrário de vc, eu viajei muito e pelo que pude ver, o Brasil e os brasileiros gozam sempre de muita simpatia no exterior. Mas o Brasil (ver, o Itamaraty) parece gostar de exportar uma imagem de samba, bundas, favelas e futebol enquanto outros paises latinoamericanos fizeram um trabalho de marketing bem melhor, como a Argentina e o Chile.
Mais que vergonha, sinto raiva, pois sei que o Brasil é feito também de pessoas sérias, que trabalham duro, de empresas que apesar de impostos e burocracia de estilo nigeriano, conseguem sobreviver, exportar e vender no exterior. Sinto orgulho ao ver empresas brasileiras que expoem seus produtos em feiras internacionais ne ver a etiqueta Made in Brazil. Sinto orgulho que muitas empresas americanas e européias, preferem usar componentes brasileiros para seus produtos. Sinto orgulho em viajar em um Embraer nas rotas européias, sinto orgulho ao ouvir nos EUA e na Europa que temos ótimas universidades, sinto orgulho em ouvir no exterior que no Brasil existem excelentes publicitários, sinto orgulho que certos escritores brasileiros têm sucesso planetário, sinto orgulho ao escutar musica brasileira nas rádios da Europa, sinto orgulho quando meus amigos americanos e europeus, querem que eu fale para eles em português, pois parece que nossa língua é tão bonita.
Por essa razão, concordo com o Diogo quando ele fala que Lula representa o atraso, o terceiromundismo, o apoio de um sistema reacionário que premia somente os grandes banqueiros (que no Brasil encontram terreno fácil para fazer dinheiro, através do crédito a taxas de juros escandalosas para um país como o nosso) e que mantém massas inteiras dependendo de esmola de estado.
Eu acredito no comércio, na economia, no trabalho bem feito, na meritocracia, como único sistema para melhorar as condições de vida das pessoas. Não é sustentável em um país como o nosso ter mais de 30 ministérios, "subministérios", "infraministérios" e um aparelho burocrático paquidérmico, extremamente luxuoso, que nenhum país "sério" tem. Nao é possível que em um país sério não exista uma oposiçao de verdade, que por puro interesse partidário (para não dizer pessoal) aceita tudo isso.
Se tudo isso for "condicionamento", entao prefiro ser "condicionado".
Tenha um bom final de semana.-Malbert de Brasília

5 comentários:

Stanislaw Callmann disse...

Gostei muito do blog, textos fantásticos. Mas a leitura é cansativa, não por causa dos textos, mas do layout preto com letras verdes. Um grande abraço.

Gaertner disse...

Esse zepolvilho merece só desdém e o perdão cristão, pois é daquelles que não sabem o que fazem. Mas acaba sendo divertido ver como "funciona" - mal e porcamente - a cabeça de um petralha que aparentemente não recebe mensalão.

Malbert de Brasilia disse...

Não me esperava de “merecer” tanta relevância, mas agradeço pela atenção. Eu tinha-me permitido, ao ver neste blog uma foto do Lula nacional junto ao tenente-coronel ex golpista hoje caudilho da Venezuela Hugo Chavez Frias, que eu tinha assistido à uma entrevista do presidente da França Nicolas Sarkozy na rede francesa TV5, relevando a diferença de espessura entre o estadista francês e o ex sindicalista Lula. Zepovo então replicou ao meu comentário escrevendo para mim que “com certeza vc sofreu condicionamento pavloviano”, e por ter morado fora do Brasil teria aumentado tal condicionamento, porque, sempre na opinião dele, americanos e europeus tratariam os estrangeiros como cães e que eu teria vergonha de ser brasileiro.
A resposta eu jà dei.

Anônimo disse...

ZEPOVO

Malbert, gostei da resposta,parabens! Sei que sintiu minha estocada, ou não se daria ao trabalhar de responder tão bem. Se vcs repararam, não costumo retrucar comentários em respeito ao dono do Blog - Kozel- que é quem deve pautar os assuntos. Mas neste caso estou respondendo ao post.
MALBERT, eu não disse que lá fora tratam mal os brasileiros, eu disse que tratam como cães, é diferente, mais profundo... Se vc sabe alguns truques ou pode ser ensinado será com certeza apreciado. Mas deve saber seu lugar, que até pode ser a cama da madame como un poodle limpinho...
E não seja preconceituoso, só porque sou petista não quer dizer que sou um ignorante ou não conheço o mundo. Também gostaria de lembrá-lo que todas as mazelas que vc citou e nos colocam no terceiro mundo, já estavam instaladas antes de Lula ser eleito. Quem deixou a situação desandar foi o culto sociologo FHC, que na verdade criou as condições exatas para a eleição de Lula.
Um beijo na sua alma.

Malbert de Brasilia disse...

Zepovo
ok, eu também gostei da sua "contra-resposta". Nunca pensei que vc, por ser petista, fosse um ignorante. Ao contrario, leio sempre com atenção seus comentários.
O bom da democracia é isso, poder se confrontar e somente os idiotas não mudam de idéia, não é?
Em relação, ao tratamento de americanos e europeus para com os estrangeiros, o que dizer? Também no Brasil os estrangeiros não tem a vida facil. Os naturalizados então, como nos EUA, serão sempre cidadão de 2.a categoria. Acho que isso deveria mudar, pois na Europa, que se naturaliza, torna-se inteiramente cidadão com todos os direitos dos Natos.
Com simpatia,
Malbert