Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Oposição vai para cima de Renan

A CPMF corre risco de não ser reaprovada,o Planalto está em pânico,e Lula já foi conclamado a pedir a cabeça do safardana.

Em uma das mais tensas sessões legislativas desde o início da crise provocada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), os senadores da oposição intensificaram nesta terça-feira os seus ataques contra o alagoano, e fizeram sucessivos e insistentes apelos para que ele se afaste do comando do Congresso. Ao mesmo tempo, os parlamentares do PSDB e do DEM entregaram à Mesa Diretora do Senado o pedido de abertura, no Conselho de Ética, de um quinto processo por quebra de decoro parlamentar contra Renan. Desta vez, o peemedebista é acusado de mandar espionar seus colegas de Casa, como VEJA mostrou em reportagem desta semana.

Um dos líderes do grupo que exige a saída do alagoano e vítima do esquema chantagista de Renan, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) subiu à tribuna para reproduzir o trecho de uma fita que comprova o envolvimento e Renan no caso. Irritado, Renan acusou-o de transformar "o Senado em delegacia de polícia". "O que vossa excelência quer fazer com o Senado brasileiro?", questionou o alagoano. "E o que vossa excelência fez com o Senado brasileiro?", respondeu Demóstenes, segundo reportagem do site do jornal O Globo.

Durante a sessão, foram vários os senadores a se dirigirem à tribuna do plenário para exigir o afastamento de Renan, que permanecia irredutível em sua cadeira. Alguns senadores petistas, antes alinhados ao presidente da Casa, começaram a manifestar repúdio à sua presença – inclusive Aloizio Mercadante (PT-SP), que pediu a palavra para dizer que a situação de Renan é institucionalmente inaceitável. O mesmo Mercadante se absteve de votar pela cassação de Renan no mês passado, o que ajudou o senador a permanecer no cargo.

Obstrução A oposição decidiu também dar um prazo de quase um mês para que todas as representações que correm contra Renan no Conselho de Ética sejam votadas. Segundo os senadores de PSDB e DEM, se os processos não estiverem resolvidos até o dia 2 de novembro – inclusive a nova representação, protocolada nesta terça – os trabalhos do Senado serão paralisados. "Não vou perder meu tempo pedindo a saída do presidente", afirmou em seu discurso o líder do DEM José Agripino (RN). "O que temos que fazer é votar no Conselho de Ética, mas não, querem empurrar com a barriga até o Natal, Ano Novo, essas representações".

Sob bombardeio oposicionista, Renan tentou se defender com a ladainha de sempre. E atribuiu ao seu assessor especial, o ex-senador Francisco Escórcio, a responsabilidade pela tentativa de espionar os seus adversários. Determinou a abertura de uma sindicância para apurar o escândalo e afastou o servidor até que seja provada sua participação. Renan se recusou a explicar porque só afastou o assessor, em vez de demiti-lo, se tinha tanta certeza de que ele era o culpado. Atacado, deixou o plenário antes do fim da sessão.

Lula em pânico

O governo Lula teme que o agravamento da crise envolvendo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ponha em risco a aprovação da prorrogação da CPMF, o imposto do cheque, ainda neste ano. Caso isso ocorra, há uma avaliação jurídica de que ela não poderia ser cobrada nos primeiros três meses do próximo ano, podendo provocar uma perda de R$ 10 bilhões.
Segundo a Folha apurou, voltou a crescer a preocupação de Lula com a crise em torno de Renan, mas sua única opção política viável é tentar aprovar a prorrogação da CPMF com o senador no cargo -apesar de o Planalto preferir a licença.
O calendário de votação da CPMF já estava apertado mesmo antes do surgimento das novas denúncias contra Renan, de que ele teria mandado investigar os colegas Demóstenes Torres (DEM-GO) e Marconi Perillo (PSDB-GO).
A previsão anterior era que a votação final da emenda que prorroga a CPMF no Senado ocorresse na segunda quinzena de dezembro. Agora, o temor é que ela fique para janeiro, já que a oposição sinalizou que não pretende encurtar os prazos de tramitação da proposta e está disposta a obstruir votações até que Renan saia.



Veja e Folha

2 comentários:

ZEPOVO disse...

ZEPOVO

Lula está muito preocupado com a crise Renan. Preocupa-se com os destinos do País.
Mas dizer que Lula está em pânico, fica como licença poética p/ vcs...

Malbert de Brasília disse...

Ontem eu estava presente no Salão Azul do Senado, para a abertura de uma exposição de artistas. O Renan estava aí, fez até um discurso e todos os presentes seguravam a carteira, relógios e jóias, não se sabe nunca!...