Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Ai de ti,Cruela Cruvinel

Congresso rejeita conselho da TV pública



A TV pública prevista no programa de governo da campanha à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrenta resistências tanto da base quanto da oposição no Congresso e dificilmente será aprovada do jeito idealizado pelo Planalto. Uma das principais críticas à medida provisória é quanto ao Conselho Curador da nova rede de televisão pública, integrado por 20 pessoas, todas nomeadas pelo presidente da República.

“Estamos pleiteando que o Congresso tenha representantes no conselho”, diz o deputado Walter Pinheiro (PT-BA). Cotado para relatar a MP, ele é a favor de que o conselho, o presidente e o diretor-executivo da TV pública tenham de ser aprovados pelo Congresso, como os diretores das agências reguladoras. “Essa TV não pode ser uma porta-voz do governo nem ter um jornalismo chapa-branca ou submisso”, argumenta.

“O conselho tem de ter representação do Parlamento”, pede também o líder do PSB na Câmara, Márcio França (SP). “É muita afronta colocar todos os membros do conselho indicados pelo presidente da República. Só posso imaginar que isso é o bode na sala, aquilo que vai ser negociado no Congresso.

TV democrática

Ex-ministro das Comunicações de Lula, o líder do PDT na Câmara, Miro Teixeira (RJ), também defende mudanças no conselho. “Essa questão vai ter de ser rediscutida. No atual governo eu confio, mas quem sucederá este governo?”, diz. “Quero garantias duradouras de que a TV pública será democrática. Se virar uma TV chapa-branca não vai ter audiência.

As críticas mais contundentes vêm da oposição, que teme o uso da rede para propaganda política. “A TV do Lula pode ser um instrumento poderoso para a tentativa do terceiro mandato. Afinal, a TV do Lula não tem nem independência financeira nem administrativa”, ataca o líder do DEM na Câmara, Onyx Lorenzoni (RS), que quer fechar questão contra a MP.

Na terça-feira, o DEM reuniu seus deputados e pôs em votação secreta, em cédula de papel, a pergunta: “Você é a favor da TV estatal criada pela MP 398?” O resultado: 41 deputados se posicionaram contra a TV pública e apenas 2 foram favoráveis.

"Chavismo"

Os tucanos também resistem. “Essa TV é o caminho do chavismo', diz o líder na Câmara, Antonio Carlos Pannunzio (SP), referindo-se ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que alterou a Constituição para tentar ficar indefinidamente no poder. “O Planalto vai ter uma televisão para proselitismo e para veicular idéias e princípios que são caros ao governo, mas não a toda a sociedade.

Líder do PT, Luiz Sérgio (RJ) rebate a acusação. “Não podemos, com medo de fazer o debate, ir para a desculpa fácil de dizer que seria uma TV do governo”, diz. “Esse tipo de suspeição, de que será uma TV do governo, sempre vai existir. Também falavam isso em relação às indicações do presidente Lula para o Supremo Tribunal Federal”, concorda o líder do PC do B, deputado Renildo Calheiros (PE). “No fim se viu que não é nada disso. Há um monte de ministros indicados por Lula e o STF se mantém independente.

2 comentários:

Stella disse...

só jogo de cena desse congresso, nada mais
lula jamais irá abrir mão dessa tv

Malbert de Brasilia disse...

...ah, o grande poder do controle remoto! E' so trocar de canal e nao olhar a propaganda lulista, e deixar que seja como uma especie de canal evangelico, para seus adeptos.

Eu hà tempo que nao assisto mais TV, tirando minhas informaçoes e intratenimento da Internet. O televisor està là somente para ver dvd.

Tudo bem, pena que eu que sou um antilulista, tenha que pagar com meus impostos essa "maravilha".