Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de julho de 2008

marisaLETÍCIA e a merda na cozinha do Planalto

FINALMENTE OS ESCÂNDALOS CHEGAM AO CORAÇÃO DO PALÁCIO DO PLANALTO E À MÁXIMA INTIMIDADE DE LULA, COM GRAMPO E FIRMA RECONHECIDA!

1. Um efeito colateral -que poderia não ser tão colateral assim- da prisão de Daniel Dantas estilhaçou no coração político de Lula. Seu mais importante, íntimo e fiel escudeiro está de cabeça nas investigações. O problema é tão grave que Gilberto Carvalho imediatamente tirou férias de forma a que a imprensa não tenha acesso a ele.

2. Gilberto Carvalho -entre outras- estava no centro do caso da morte do prefeito Celso Daniel do PT, que envolveu a cúpula petista. O ex-deputado Greenhalgh, oligopolista das indenizações da bolsa-ditadura e advogado do fígado do PT e seu dirigente, era também o operador de Daniel Dantas e buscava informá-lo através do contato íntimo com Gilberto Carvalho.

3. Humberto Braz, filmado pela PF tentando subornar delegado, era exatamente quem Greenhalgh procurava proteger (ler abaixo o grampo). Ou seja: provavelmente sabia da tentativa de suborno e de eliminação da investigação sobre Daniel Dantas.

4. Embora a imprensa tenha tido um justo constrangimento para relacionar, é provável que o uso do nome Leticia seja um indicativo (não que ela seja a receptora) de que os recursos iam para o "quarto" de Lula.

A seguir, trecho do grampo divulgado pela imprensa:

O inquérito inclui a transcrição de um telefonema de Greenhalgh para o chefe de gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho. O ex-deputado queria saber se a Abin estava seguindo Humberto Braz no Rio. Segundo o monitoramento dos delegados, feita no dia 29 de maio, às 18h, esta foi a resposta de Gilberto Carvalho:

Gilberto: O general me deu a resposta agora. É o seguinte: não há nenhuma pessoa designada na presidência na Abin, com esse nome. A placa do carro não existe, é fria, tá? Eles aqui acham que a única alternativa é que tenha sido caso de falsificarem documento, eles não consideram possível que seja da Abin. A Polícia Federal não usa a PM, eles não se misturam de jeito nenhum, tá. Então eu acho que o mais provável é que o cara tava armando mesmo alguma coisa. Mas com documento falso, que também no Rio é muito comum, porque daqui não tem, eu pedi, insisti, fiz o máximo cuidado, tal.


PALÁCIO DO PLANALTO ERA O CENÁRIO DOS CRIMES! E LULA, NÃO SABIA DE NADA????

Estado de SP
PF diz que Dantas fez lobby dentro do Planalto por ''negócios ilícitos''

O grupo liderado pelo banqueiro Daniel Dantas buscou apoio no Palácio do Planalto "para negócios ilícitos". Além de procurar a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o chefe de gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, o advogado e ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh, apontado como lobista do grupo de Dantas, foi atrás do ex-ministro e ex-deputado José Dirceu para auxiliá-lo na tarefa. De Dilma, Greenhalgh queria o aval à fusão entre a Brasil Telecom e a Oi, uma operação que rendeu R$ 985 milhões ao banqueiro do Opportunity, e de Carvalho, a promessa de ajuda na busca por informações sigilosas que ajudassem Dantas, conforme mostrou o Estado. Em seguida, Evanise (namorada de Dirceu), revela que está falando de dentro do Palácio do Planalto. "Esse é seu telefone?", pergunta Greenhalgh. "Não... esse é o PABX aqui do palácio." Em seguida, ela passa ao advogado um número de celular, que, segundo a PF, está cadastrado "em nome da Secretaria da Administração da Presidência da República".


A TURMA DO LULA!

Estado de SP
Greenhalgh antecipa voto do STJ

1. Petista adianta para executivo do Opportunity como ministro votará. O ex-deputado Greenhalgh conseguiu adiantar para Humberto José Braz, executivo do Opportunity, o voto do ministro Sidnei Agostinho Beneti, do STJ, em um processo em que o banco era uma das partes. Interceptações telefônicas feitas em 15 de abril mostram Greenhalgh conversando com
Braz (apontado como o responsável pelas ações de espionagem do grupo e acusado pela Polícia Federal de ter oferecido US$ 1 milhão ao delegado federal Vítor Hugo Rodrigues Alves Ferreira a mando de Daniel Dantas).

2. O petista diz às 10h15 que está em Brasília e vai ao escritório de Beneti. O ministro iria participar naquele dia do julgamento do processo 2006/0236147-2, em que, de um lado estavam investidores institucionais de fundos de ações e, do outro, o Opportunity Equity Partners Ltd. O grupo de Dantas quer adiar a decisão judicial para forçar um acordo do Citibank, possibilitando a venda da Brasil Telecom para a OI, as duas partes brigavam há anos na Justiça.

3. Às 13h39, Greenhalgh e Braz voltam a conversar. Greenhalgh tranqüiliza o executivo, dizendo que é "um abraço". Vinte minutos depois, em outro diálogo, o petista conta a Braz que o relator, o ministro Ari Pargendler, vai apresentar seu voto, mas o 2º magistrado pedirá vistas do processo. Beneti era o segundo julgador. Às 14 horas, o caso foi a julgamento no STJ. De fato, as coisas se passaram como o ex-deputado disse.

OS IRMÃOS LULA, GREENHALGH E GILBERTO CARVALHO!

Painel da FSP

O Planalto avalia que o relatório do delegado Protógenes Queiroz é devastador para o ex-deputado petista Luiz Eduardo Greenhalgh, que aparece no grampo apertando todos os botões possíveis -a começar pelos do palácio- para fazer valer os interesses do banqueiro no governo. "Gomes", como o chamam os demais colaboradores de Dantas, não é personagem fácil de atirar ao mar, dadas suas relações históricas com pessoas como o chefe-de-gabinete Gilberto Carvalho e o próprio Lula. Entre os funcionários do Planalto que tiveram conversas com Greenhalgh grampeadas está Evanise Santos, namorada de José Dirceu. Cuidadosa com as palavras, ela avisa ao ex-deputado que "seu amigo está chegando entre quatro e cinco horas" e expressa uma dúvida sobre o encontro que ambos terão em seguida: "tô só esperando a resposta se é melhor fazer no hangar ou no hotel". Pouco depois, liga para Greenhalgh William, que se identifica como "funcionário do senhor José Dirceu" e avisa que o encontro vai ser "lá no hangar da TAM" no aeroporto de Brasília.


COMISSÁRIO TARSO GENRO -KGB- DEFENDE A TURMA DO LULA!

Trecho de entrevista na FSP.

FOLHA - O ex-deputado petista Luiz Eduardo Greenhalgh conversou com Gilberto Carvalho, chefe-de-gabinete do presidente Lula, no Planalto, para obter informações sobre o processo.

TARSO - Esse contato, se houve, o Gilberto soube diluí-lo, porque não fez qualquer pedido de informação à PF e ao ministério. Não creio que Luiz Eduardo tenha tentado solicitar ao governo inconfidências.

2 comentários:

Alexandre Core disse...

Excelente clipping!
A bomba vai ficar rondando o Lula, mas a gente sabe que nunca vai explodir debaixo dele. O homem é perito em se livrar das batatas quentes do próprio desgoverno.

posturaativa disse...

estamos submersos em um mar de lama
cada dia um escândalo
e o povo .......