Pesquisar este blog

sábado, 24 de janeiro de 2009

"Mas o único Billy aqui é o meu gatinho"

Um gato de estimação fez parte, durante cinco meses, da lista de beneficiários do Bolsa Família em Antônio João (300 km de Campo Grande), um dos municípios mais pobres de Mato Grosso do Sul. O animal, chamado Billy, foi inscrito com nome, sobrenome e data de nascimento por seu dono, Eurico Siqueira da Rosa, coordenador local do programa do governo.

Billy tinha número de identificação social, cartão magnético e vinha recebendo R$ 20 mensais do governo federal como complementação de renda.

A fraude foi descoberta durante a visita de um agente de saúde à casa do suposto beneficiário, em novembro passado.

Recebido pela mulher do coordenador, o agente quis saber por qual motivo a criança Billy Flores da Rosa não havia sido levada para fazer a medição e a pesagem, exigidas para os cadastrados no programa.

A mulher estranhou a pergunta: "Mas o único Billy aqui é o meu gatinho". O agente relatou o diálogo à prefeitura, que abriu sindicância.

ISSO É LULA:Bolsa família pra gato e bolsa KY pros gays

3 comentários:

Fernando disse...

Isso aqui ô ô...é um pouquinho de Brasil ia ia....esse Brasil que canta e é feliz....


Um cara roubar 20 mangos do bolsa esmola tem que levar é porrada até morrer.
Eita país de M****

A Sentinela disse...

Meu Deus!!!!!

Vinte moedas!!!!!!!!!!!!!!

Complementar renda????? Qual o critério???
E pensar que o culpado somos nós!
Felizmente não levarei essa culpa comigo, nunca votei neste partido de tranbiqueiros.
A pergunta é: O que fazer agora???????????
Abs amigo

tunico disse...

Imagine quantos ratos também estão rebendo o bolsa-família poraí.

Agora, o Bolsa-Vaselina é demais.